segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

A cantiga da felicidade


 

Bem, hoje trago talvez uma assunto mais sensível, capaz de ferir susceptibilidades, mas não é mais do que a minha opinião pessoal e vale apenas por isso.
Já há uns tempos que tenho tido algum cuidado de analisar determinados conteúdos de facebook e, recentemente, dos blogs.
Num país onde o nível de vida cai a pique e onde a esperança mora muito longe, ouvir alguém proferir que é feliz é refrescante. Mas fazer disso bandeira para todas as conversas, todas as frases tontas de facebook e afins é que já não entendo.
A felicidade é um conceito demasiado abstracto para poder argumentar quando alguém me diz que é muito feliz, mas as demonstrações forçadas e frases feitas são sinónimo de insegurança e poucas certezas na sua própria condição. Se sou plenamente feliz para quê dizê-lo a cada cinco minutos?! Possivelmente ando demasiado ocupada a ser feliz. Não teria tempo para parar, a cada cinco minutos, para relembrar os leitores do quão feliz sou.
Outra coisa no baú das felicidades feitas, é a panca que, principalmente as mulheres, têm de achar sempre uma brecha qualquer na conversa para colocar o seu 'mais que tudo' (inenarrável na minha opinião). Os seus homens são sempre óptimos e de fornadas das quais já se lhes perdeu a receita. Eu não entendo, mas, embora até saiba que há muito bons rapazes, não há nenhum homem que seja digno do fastidioso título 'homem da minha vida'. Mas o que é isso, afinal?! É um homem que passa pelas nossas vidas, que pode ficar permanentemente, mas que, se um dia, por azar, se for, vai continuar a ser o 'homem da nossa vida'?! Independentemente de sermos deixados ou de largar alguém, a nossa vida é apenas uma. E não é bonito, minhas senhoras, virem dizer que algum tipo é o 'homem da vossa vida'. Isso não existe. E acreditem que tenho uma costela de romantismo.
Ora observem o comportamento masculino. Por acaso vêem os homens berrar por todo o lado que são muito felizes, que amam muito a 'mais que tudo', que comeram esparguete ao almoço e que ela sujou a blusa com tomate? Não, pois não?! Deixemo-nos de tonterias.   
Rendo-me aos noventa anos, com um homem há mais de 30 ao meu lado, a limpar-me o rabo e a dar-me papas Cerelac na boca. Aí digo-lhe: "Constantino, és o homem da minha vida!"


29 comentários:

  1. Concordo plenamente com tudo que foi dito. Não existem pessoas perfeitas, estamos muito longe disso. Colocar pessoas a guiarem a nossa felicidade nunca dá certo, isto porque, se as pessoas nos abandonam não vamos mais conseguir ser felizes. Não há nem nunca haverá relações ou casamentos perfeitos, existem sim uns mais perfeitos que outros. Mas ninguém é ou pode ser sempre feliz, porque a vida é mesmo assim, feita de coisas boas e coisas más.

    ResponderEliminar
  2. eheheh! Gosto de ti - ou de te ler, para que não se criem mal-entendidos, mesmo até porque não me chamo Constantino - muito principalmente da tua, por vezes, crueza e sagacidade. És sempre muito diferente do que vou lendo por aí. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Vic! :) Claro que entendo que a maior parte das pessoas não pense assim, mas aprendi a viver as coisas com muita ponderação e alhar duas vezes para a mesma 'coisa'. Um pouco de Dostoivski ou Vergílio Ferreira, fariam milagres em algumas senhoras.

      Eliminar
  3. ahahah! Muito bom. Não sou de lamechices e creio que as alegrias são como os bebés: não devem ser anunciadas antes dos 3 meses, sob pena de uma grande vergonhaça. Acho que as mulheres que passam a vida a apregoar como o "seu" homem é fantástico são inseguras e querem, acima de tudo exibir-se. Mas falo por mim: eu que sou tão discreta, tão ponderada, quando ando MESMO contente preciso de me moderar para não andar para aí aos saltinhos...logo, se for uma felicidade temporária e repentina, percebo que se ande um bocado taralhoco durante uns tempos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é natural. Todos temos direito aos nossos minutos de histerismo! O problema é quando isso se coloca em todas as fases da tua vida. Não sei, parece-me sempre tudo demasiado forçado. Mas isto é a minha opinião e, como disse, ouvir alguém dizer-me que está feliz, continua a ser uma lufada de ar fresco neste ambiente cinzento. Mas ponderação.

      Eliminar
  4. Já encontrei casais com um FB conjunto, tipo "Manuel e Maria Cerdeira, Ldª", para escreverem baboseiras do género:
    A Ritinha (a neta) está tão "jira". ahahah
    E adiciono eu esta gente... xD

    ResponderEliminar
  5. Quanto à parte da afirmação constante de felicidade, concordo que quem o faz não deve estar muito seguro de a ter.

    Quanto ao restante, também tens muita razão!!

    Felicito a tua coragem para abordar tal tema ;)

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito do post! É uma realidade, e hoje o facebook é uma aut~entica montra da felicidade momentânea e dias depois da infelicidade..

    ResponderEliminar
  7. Bem observado :)
    Posso ser feliz e até considero que o sou, apesar de claramente ambicionar mais para a minha vida, mas não ando para aí a apregoar a todos os minutos, tenho mais que fazer aliás :D
    Quanto ao mais que tudo, nunca apelidei o meu namorado com essa descrição, é o T. aqui no blog, para as minhas amigas é o nome completo do meu namorado, e é referido quando faz sentido, não a todo o instante e porque sim :D
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se eu um dia tiver que falar aqui, no blog, do meu namorado, fá-lo-ei pelo seu nome ou pelo título (namorado). Não por todas essas tonterias. Mas isso é uma questão de feitios, de gostos. Possivelmente, há homens que adoram ser idolatrados. Eu nunca gostei nem de o ser nem de o fazer. Mas isso fica ao critério de cada um. E é como digo, isto vale apenas como uma opinião pessoal.

      Eliminar
  8. Concordo com tudo, Colour. Ou melhor, com quase tudo. É que, infelizmente, também já há homens com essas conversas/tretas de "gaja"... Cada vez mais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahha! Conheço alguns, mas também... chamar homens àquilo... hummm. Não sei! :D

      Eliminar
  9. ahahahah Fizeste-me rir!!! ;) Muito booooooooooommmmmm!!!!

    ResponderEliminar
  10. Eu duvido sempre de quem tem uma necessidade extrema de dizer que é muuuuiiiito feliz... Se o somos, isso por si basta não é necessário que todos o saibam.

    p.s. Adorei a parte do constantino :)

    ResponderEliminar
  11. Verdade sim senhora... so o tempo nos dira se foi ou nao o homem da nossa vida. Ate la sera apenas o homem com quem partilhamos a vida de momento por mais que gostemos dessa pessoa. Eu acho que quantas mais certezas as pessoas tem, mas iludidas andam, mas enfim... ;)

    ResponderEliminar
  12. Cada um tem a sua opinião, sem dúvida.
    E confesso que essa merdice de "estou feliz all the time!!" enjoa, não porque eu seja mais ou menos feliz, mas porque de facto com tanta coisa a passar-se neste mundo chega a roçar o mau gosto lol.
    No entanto tenho um nome xpto para o namorado, sim tenho! Nunca o iria tratar por namorado porque já somos muito mais que isso, e pelo nome está completamente fora de questão. No entanto não me parece a mim que dar-lhe um nome (no meu caso Mister Elvis) seja idolatrar alguém :) até porque o Elvis é nome de outro que tanto gosto hehehe (e ele até se "pica" com isso), é até mais pelo penteado, porque é a alcunha que uso por casa ;)
    Beijinho querida, já não passava cá há tanto tempo***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, mas Mister Elvis tem a sua piada! Todos atribuimos nomes de guerra às pessoas que nos são mais próximas. Referia-me apenas ao inenarrável "mais que tudo" e "homem da minha vida"! eheh

      Eliminar
    2. Sabes quem é o homem da minha vida?
      O meu paizinho, esse sim vai aturar-me durante 100 anos :D
      E não me canso de lhe dizer isso hehehe

      Eliminar
  13. Ahahah! O quanto me fazes rir... E o que eu concordo contigo! Nem nós nulheres somos perfeitas, quanto mais os homens... Enfim! És o máximo! Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Nossa, que lindo texto. Realmente as mulheres exageram.
    Rsrs, é tanta coisa forçada. Amei.
    Beijinhos.
    http://estilosaefeminina.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  15. este excelente post, muitas verdades, "se alguém está completamente feliz, para dizer a cada 5 minutos" é real!
    Um abraço;)

    Con Tacones en el Metro

    ResponderEliminar
  16. Ninguém é feliz! Como estado imutável e continuo. Há, sim, momentos, esperamos, falazes. E ainda aqueles verdadeiramente felizes. Se houver mais momentos felizes que os outros é bom. A felicidade nao se apregoa, desfruta-se. Se alguém diz sempre que esta feliz. Camufla o que esta a sentir.

    ResponderEliminar
  17. Pois é, esses exageros trazem sempre consigo uma certa dose de insegurança.
    Quanto a esse tema, até tenho uma ideia muito concretas (e olha que eu tenho poucas ideias concretas). Um homem ou mulher nunca são felizes todo o tempo. Temos momentos, horas, dias de felicidade. Não conheço ninguém que seja feliz durante uma semana, quanto mais um mês ou um ano. Há sempre pequenas coisas que evitam a plenitude, não concordas? :)

    ResponderEliminar
  18. Olá!!!, Deus seja contigo,amei o seu blog e post maravilhoso sucesso, estou te seguindo. CONVIDANDO VOCÊ PARA UM SORTEIO NO MEU BLOG, DE 1000 SEGUIDORES ERA A MINHA META COM 1000 SEGUIDORES EU FAZIA UM SORTEIO, E AGRADEÇO A DEUS E A VOCÊ QUE MIM SEGUE E AQUELES QUE VÃO MIM SEGUIR. Aguardo retribuição
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar