segunda-feira, 15 de outubro de 2012


E quando o tempo acabar?
 
 
 
 
Percebemos que temos uma educação e modos de vida terceiro mundistas quando alguém nos diz que vai trabalhar 12 horas seguidas sem remuneração adicional. É caso para dizer: andamos todos a trabalhar para aquecer. O que até poderia dar jeito nesta altura em que as temperaturas descem abruptamente. Mas não. Caramba, temos vida para além das quatro paredes do local de trabalho e o tempo é implacável. Não me deixa especialmente perplexa quando oiço pessoas proferir que querem desistir de tudo.
Há uns tempos, soube que um rapaz que estudava na mesma universidade que eu, se suicidou com veneno. Pouco importa como o fez. Importa sim perceber por que não viu outra alternativa. Se fizermos um jogo mental simples e lógico, percebemos que, nos tempos que correm, temos pouco e damos tudo. Perdemos, em contrapartida, qualidade de vida, as relações tornam-se mais ténues e o tempo para estar de papo para o ar escasseia. E se há algo que nunca conseguiremos recuperar, por mais voltas que os cientístas de todo o mundo dêem, é o tempo. Algo indefinido que acontece sem que nos apercebamos e que pode andar lado a lado connosco numa busca gloriosa, como pode apresentar-se como o maior disparate da nossa existência.
 
 


7 comentários:

  1. Tens razão, agora até que fiquei meio deprimida xiça

    ResponderEliminar
  2. Great blog!
    Would you like follow each other?
    Let me soon on my blog!
    Anthea
    www.antheafashion.com

    ResponderEliminar
  3. Pois, hoje foram duas horas-extra.

    ResponderEliminar
  4. Com esta correria, por vezes só quando levamos um abanão da vida, é que percebemos que perdemos tempo precioso a fazer... nada. Nada que justificasse tanto tempo perdido. :|

    ResponderEliminar
  5. Hoje em dia as coisas estão péssimas, pouca oferta, muita procura, os salários limitam-se a meros trocos, o endividamento aumenta, e com isso as depressões claro. As pessoas sujeitam-se a muitas horas de trabalho a troco de um mísero salário porque é sempre melhor que nada, o pior é mesmo quando trabalhas como escravo durante dois anos sem receber nada de nada à conta dos tais "estágios". Ainda não cheguei a essa situação, mas nem quero imaginar quando estiver lá :/

    Beijinho ^^

    ResponderEliminar
  6. Isto está tão mal que até ficamos deprimidos só de pensar. E acho que ainda não batemos bem lá no fundo! Isto está mesmo "bom" para o aumento da taxa de suicidios, por aqui ouve-se algumas histórias assim. QUando a esperança morre ...

    Bjokas

    ResponderEliminar